Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Bioeconomia é tema de evento do INT na casa Firjan

Baixar (pdf, 192 KB)

7_TendenciasTecnologicas.pdf

Bioeconomia é tema de evento do INT na casa Firjan

Representantes da Indústria, do governo e pesquisadores se reuniram no evento Bioeconomia: Desafios e Tendências na Indústria Brasileira, realizado na Casa Firjan, no dia 19 de fevereiro. Realizado pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT) em parceria com a Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), o encontro visou fomentar o debate sobre os desafios e tendências da bioeconomia na indústria brasileira a partir da apresentação de projetos de P&D desenvolvidos pelo Instituto – pertencente à estrutura de pesquisa do MCTIC –  e pelo Instituto Senai de Inovação em Química Verde (ISI QV), ligado ao Sistema Firjan. 

Na abertura, o secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Paulo Alvim, reafirmou o compromisso do Ministério em apoiar a Inovação, especialmente em setores considerados estratégicos, como os biomateriais, que são produtos das pesquisas em bioeconomia. O secretário destacou a trajetória do INT, pioneiro no País em tecnologias como biocombustíveis e prototipagem rápida, e também a importância do “Sistema Indústria”, lembrando que o ministro Marcos Pontes iniciou sua formação como aluno do Senai e do Sesi de Bauru, SP. 

O diretor regional do SESI/FIRJAN, Alexandre dos Reis, por sua vez, salientou a importância da aproximação das instituições de pesquisa com a indústria, no estado do Rio de Janeiro, ressaltando o papel da Casa Firjan de “influenciar políticas” para fomentar o ambiente da inovação. “Temos aqui o maior aparelho de P&D do País e, por falta de articulação, deixamos de concretizar a inovação no estado” – apontou o empresário, demonstrando disposição para intensificar a parceria em nível federal. Alexandre dos Reis também destacou a formação de redes de apoio a projetos em bioeconomia, onde o ISI QV possa atuar em conjunto com o INT avançando no desenvolvimento de soluções para a indústria.

IMG 4908xO secretário de Empreendedorismo e Inovação do MCTIC, Paulo Alvim, fala na abertura do evento, reafirmando o compromisso do Ministério em apoiar a Inovação.

IMG 4889aO diretor regional do Sesi/Firjan, Alexandre dos Reis, destacou a importância da aproximação entre instituições de pesquisa e a indústria.

O diretor do INT, Fernando Rizzo, manifestou satisfação com a troca de experiência e confirmou a motivação para ampliar as parcerias de pesquisas e desenvolvimento, em atendimento às demandas da Indústria. 

As apresentações técnicas foram abertas pelo coordenador de Tecnologias Aplicadas do INT, Marco Fraga, que fez um panorama sobre as pesquisas relacionadas à bioeconomia. Revelando o potencial de substituição de recursos fósseis e aproveitamento de resíduos agroindustriais, Fraga situou o tema como estratégico para as políticas nacionais e regionais de inovação industrial. 

Nas apresentações técnicas, quatro pesquisadores mostraram seus projetos de Pesquisa e Desenvolvimento em curso.  Pelo ISI Química Verde, o químico Alex Queiroz apresentou o projeto Fluidos supercríticos: a intensificação de processos aliada à economia sustentável, e o químico Otávio Chaves, o projeto Lignina, uma fonte alternativa e natural para a produção de insumos químicos. Pelo INT, a bioquímica Ayla Sant’Ana, do Laboratório de Biocatálise, falou sobre “Recursos amazônicos como oportunidade para o desenvolvimento da Bioeconomia”, revelando detalhes sobre seu projeto de aproveitamento da semente do açaí; e a coordenadora de Desenvolvimento Tecnológico, a engenheira química Marcia Gomes, falou sobre “Materiais sustentáveis à base de resíduos agroflorestais”, com uma visão sobre novas composições para a indústria de plásticos e polímeros em geral. 

Concluindo as discussões, o coordenador de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do ISI QV, Antônio Fidalgo Neto, falou sobre os “Desafios na Indústria em Bioeconomia”. O pesquisador relatou a importância da parceria em pesquisas nesta área para otimizar as soluções oferecidas à indústria, como perspectiva para atingir uma crescente demanda do mercado e a enorme oferta de matérias-primas residuais.  

RAAR 

O evento foi precedido, na parte da manhã, na Casa Firjan, pelas discussões da 13ª Reunião Anual de Avaliação de Resultados (RAAR) do Instituto Nacional de Tecnologia, que apresentou resultados desta unidade de pesquisa do MCTIC em 2019, com discussões estratégicas, envolvendo a Direção do INT, chefias e convidados. Os trabalhos foram acompanhados pelo secretário de Empreendedorismo e Inovação, Paulo Alvim, e pelo coordenador-geral de Gestão de Unidades de Pesquisa do MCTIC, César Augusto Rodrigues do Carmo. 

Na abertura da RAAR, César do Carmo destacou os avanços obtidos e a qualidade das análises e materiais produzidos pela estratégia do INT, que considera como referência dentre os Institutos do MCTIC.   

Fim do conteúdo da página