Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Empreendedorismo e Inovação movimentam workshop no INT
Início do conteúdo da página
Notícias

Empreendedorismo e Inovação movimentam workshop no INT

Publicado: Quarta, 03 de Outubro de 2018, 19h33

O diretor de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais do MCTIC, Gustavo Fraya, fala na abertura do IV WCI. (Foto: Justo D'Avila/INT)Criado inicialmente para buscar integração e identificar novos rumos institucionais, em sua quarta edição bianual, o Workshop de Competências Internas do Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTIC) abriu-se à comunidade, promovendo um amplo debate de desafios tecnológicos contemporâneos. O evento reuniu, entre os dias 2 e 4 de outubro, empresários de startups tecnológicas, investidores privados (grupos anjos, aceleradoras, bancos privados) e investidores públicos ou com parcela importante de recurso público. 

Segundo o coordenador do 4º WCI, Fabio Dantas, "o evento buscou trazer este ano a cadeia completa do empreendedorismo, incluindo empresários, aceleradoras, gestoras de ecossistemas, financiadoras, apoiadoras e chegando à discussão de políticas públicas e ações privadas para apoiar todo o desenvolvimento e sustentabilidade da startup brasileira".

Na abertura do 4º WCI, no dia 2 de outubro, o diretor de Gestão das Unidades de Pesquisa e Organizações Sociais do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gustavo Fraya, fez um panorama da atuação da sua Diretoria (DPO) na valorização e cooperação com o planejamento dos Institutos. Destacou que, "apesar da difícil situação econômica do País, o MCTIC tem atuado firmemente junto à área econômica para garantir recursos possíveis, alcançando boa receptividade aos seus pleitos junto aos ministérios do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MPDG) e da Fazenda (MF)".

Entre as boas perspectivas para as Unidades de Pesquisa (Ups) do MCTIC, Fraya informou que foi enviado ao MPDG uma solicitação para abertura de concursos para 1050 vagas, sendo a maioria para as UPs. Relatou também que a DPO solicitou à Diretoria de Gestão Estratégica (DGE) estudos sobre a possibilidade de contratações temporárias.

Também participou da abertura do seminário o diretor de Inovação e Propriedade Intelectual do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Dantas, e o diretor do INT, Fernando Rizzo. O restante do primeiro dia do 4º WCI foi dedicado à apresentação das startups Plankton Brazil, pelo diretor de projetos Diego Filócomo, e Sugarzime, pela diretora executiva Rosa Biaggio. Também participaram das discussões a coordenadora da Incubadora do Instituto Gênesis da PUC-Rio, Clarice Martuscello, e Mariana Bottino, responsável pela área de comercialização e negociação do NIT-Rio.

Coordenado por Paula Gonzaga Paula Gonzaga, diretora de Operações da Redetec, o bloco sobre "Apoio ao empreendedor no Rio de Janeiro" reuniu o subsecretário de C,T&I do estado, Augusto Raupp; o analista da Unidade de Inovação do Sebrae, Agnaldo Dantas; a analista de Desenvolvimento de Negócios da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Lívia Savignon, e a coordenadora de Negócios e vice-diretora do INT, Iêda Caminha. (Foto: Justo D'Avila)No dia 3, o evento foi dedicado às discussões sobre os mecanismos de fomento. O primeiro bloco, mediado pelo coordenador de Empreendedorismo do Departamento de Políticas e Programas de Apoio à Inovação (Depai/Setec) do MCTIC, Públio Ribeiro, apresentou detalhes do Programa Nacional de Apoio à Geração de Empreendimentos Inovadores, o Programa Centelha. Criado pelo MCTIC, o mecanismo se volta para criar empresas inovadoras (startups), promovendo mudança cultural, fortalecimento e conexão para ecossistema da Inovação.

O gerente do Departamento de Empreendedorismo e Investimento em Startups da Finep, Raphael B. da Silva, por sua vez, falou sobre o programa Finep Startup, que destina R$ 60 milhões para até 30 startups selecionadas a cada rodada de investimentos, sendo a próxima em janeiro de 2019.

O segundo bloco promoveu um amplo debate sobre o apoio aos empreendedores fluminenses, em mesa coordenada por Paula Gonzaga Paula Gonzaga, diretora de Operações da Rede de Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (Redetec). Reunindo o subsecretário de C,T&I do estado, Augusto Raupp; o analista da Unidade de Inovação do Sebrae, Agnaldo Dantas; a analista de Desenvolvimento de Negócios da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Lívia Savignon, e a coordenadora de Negócios e vice-diretora do INT, Iêda Caminha; as discussões apontaram para a articulação desses atores no fomento à vocação inovadora do Rio de Janeiro.

No último bloco do segundo dia de evento, as discussões contemplaram os agentes privados de fomento à inovação.  Fernando Freitas, superintendente executivo do Departamento de Pesquisa e Inovação do Bradesco; Priscila Castro, diretora de Novos Negócios da Brain Ventures; Ramon Dias de Azevedo, diretor da Fundepar S.A.; e Yasmin Youssef, gestora de projetos especiais da Benfeitoria (crowdfunding).

Prêmios para melhores trabalhos

O engenheiro químico Ronaldo Rodrigues recebe o Prêmio das mãos de familiares da Dra. Maria Carolina Marques da Silva. (Foto: Justo D'Avila/INT)
O
4º WCI terminou no dia 4 de outubro, com apresentações técnicas envolvendo palestrantes da network do INT, com participação de Leonardo Melo, gerente institucional do Parque Tecnológico da UFRJ; Adriano Proença, engenheiro de produção da UFRJ; Murilo Freire, da área de Tecnologia de Alimentos da Embrapa; e Massimo Ricci, da empresa Leistritz.

No início da tarde, houve apresentação de pôsteres e os melhores trabalhos foram premiados, ao final do evento.

O tecnologista Ronaldo Rodrigues, do Laboratório de Biocatálise (DICAP/Labic), recebeu o Prêmio Dra. Carolina Marques da Silva pelo melhor trabalho de pesquisador graduado, intitulado "Síntese enzimática de alto desempenho para o caprilato de octila". Desenvolvido em conjunto com Ayla Sant'Ana, Diane Frauches e Viridiana Ferreira-Leitão, o trabalho aprimora as condições para uma reação enzimática de alta conversão na síntese do caprilato de octila, um composto orgânico usado na indústria cosmética e alimentícia como flavorizante, aromatizante e emulsificante.

A bolsista Bruna Vasconcelos recebe o Prêmio Dra. Alba Gallotti. (Foto: Justo D'Avila/INT)

Já a bolsista Bruna Vasconcelos, do Laboratório de Tabaco e Derivados (DIQAN/Latab), recebeu o Prêmio Dra. Alba Maria Pereira Galloti pelo melhor trabalho de bolsista graduando, intitulado "Otimização e validação de metodologia para análise de nicotina em cigarros por GC-NCD".

Desenvolvido em conjunto com a bolsista Barbara Jardim e a tecnologista Simone Chiapetta, o trabalho resultou de uma metodologia com um perfil mais simples, robusto, seletivo e sensível para a análise de nicotina.

Além do troféu, confeccionado pela Divisão de Desenho Industrial (DIDIN), os premiados receberam um celular oferecido pela empresa Leistritz.

O WCI contou ainda com a Mostra Tecnológica Abrahão Iachan, onde, entre outros projetos relacionados à atuação do INT, ficaram em exposição algumas das peças do acervo de arqueologia e paleontologia do Museu Nacional impressas em 3D.

O registro integral das palestras está disponível em vídeo, no canal do INT no Youtube: https://www.youtube.com/INTcomunica​.

Fim do conteúdo da página