Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Notícias

Diretor de Tecnologia da Faperj apresenta propostas para retomar apoio à Inovação

Publicado: Terça, 28 de Agosto de 2018, 15h21

No INT, Mauricio Guedes fala sobre seu plano para retomada de investimentos na Diretoria de Tecnologia da Faperj. (Foto: Justo'Avila/INT)No INT, Mauricio Guedes fala sobre seu plano para retomada de investimentos na Diretoria de Tecnologia da Faperj. (Foto: Justo'Avila/INT)

"Incrementar as ações em favor da inovação e do empreendedorismo": esse é o objetivo da nova Diretoria de Tecnologia da Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), nas palavras do seu novo diretor, Mauricio Guedes Pereira. Na última terça-feira (27/08), ele falou a um grupo de pesquisadores e parceiros, no Instituto Nacional de Tecnologia (INT), a convite do diretor do INT, Fernando Rizzo, e da presidente do Conselho Diretor da Rede de Tecnologia e Inovação do Rio de Janeiro (Redetec), Angela Uller.

Consultor com vasta experiência nas áreas de Parques Tecnológicos, Incubadoras de Empresas, ambientes de inovação e políticas públicas para a inovação e empreendedorismo, Mauricio Guedes afirmou que, após ter o orçamento para a Tecnologia reduzido ao mínimo nos últimos anos, finalmente há um clima favorável a mudanças na Faperj. À frente da Diretoria de Tecnologia desde 5 de julho, com mandato até 2021, ele ressalta que sua primeira providência tem sido enfrentar alguns "imbróglios" jurídicos que atualmente dificultam o uso de recursos.

Mauricio Guedes cita as dificuldades impostas aos próprios pesquisadores pelo regulamento da Financiadora fluminense, que limita, por exemplo, as transferências entre recursos previstos para capital e custeio no decorrer do projeto, inviabiliza ajustes financeiros importantes para conclusão das pesquisas. Outra dificuldade que passa a ser sanada são as dívidas, que atrasaram o pagamento de muitos projetos tecnológicos. "A liberação será em etapas, respeitando prioridades, sendo os convênios os primeiros que devem receber", sinaliza.

A sinergia da Diretoria de Tecnologia com a Diretoria Científica e o Conselho Superior da Faperj também é outro fator apontado por Mauricio Guedes como fundamental para atingir a meta de retomada dos investimentos. Para Guedes, as mudanças recentes nos cargos de direção na Faperj, com a posse dos novos diretores Científico e de Tecnologia, coincidindo com a mudança na presidência do Conselho Superior da Faperj, sinalizam para novas oportunidades de fomento à inovação e ao empreendedorismo no estado do Rio de Janeiro.

Nessa direção, Guedes destaca que até o final de outubro a Faperj terá um novo Plano Plurianual, com a proposta de inseri-la efetivamente no mundo da Inovação tecnológica. Apontou como pilares deste plano: uma Faperj integrada e empreendedora; conexões e compromisso com o Rio, foco no jovem e reforço na comunicação; e ambientes de inovação e startups.

Paralelamente, a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Social  (Secti-RJ) deverá submeter à Assembleia Legislativa do estado (Alerj) um novo Projeto de Lei para apoio à Inovação. "A ideia é atuar especialmente no incentivo às startups, por meio da criação de novos ambientes para os empreendedores", sintetiza Guedes.

O empreendedorismo também ganhará um programa de ensino à distância. Mauricio Guedes relata que, por falta de oportunidade e orientação, os pesquisadores acabam entrando em um ciclo restrito à vida acadêmica, que os tornam exclusivamente professores de novos pesquisadores. "O objetivo do programa é levar estudantes, mestrandos, doutorandos, pesquisadores perto da aposentadoria a empreender e transformar seu conhecimento em inovação", explica o diretor tecnológico.

No encerramento da fala de Mauricio Guedes, o diretor do INT, Fernando Rizzo, colocou o Instituto à disposição para apoio e parcerias na causa de apoio à Inovação e ao empreendedorismo.

Fim do conteúdo da página