Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Tecnologia Cidadã: Centro de Estudo é inaugurado na Vila Olímpica da Mangueira
Início do conteúdo da página
Notícias

Tecnologia Cidadã: Centro de Estudo é inaugurado na Vila Olímpica da Mangueira

Publicado: Quinta, 26 de Outubro de 2017, 16h12

 O Instituto Nacional de Tecnologia​ e o Instituto Mangueira do Futuro​ inauguraram ontem (26/10) o Centro de Estudo do Movimento (Cemov). Com apoio de projetos CNPq e Faperj, o espaço se dedicará ao estudo dos movimentos corporais relacionados à prática dos esportes e também a outros aspectos, como estudos de envelhecimento, acessibilidade e desenvolvimento de novos produtos esportivos.

25 10 2017 Workshop Tecnologia Cidada Mangueira foto Justo DAvila 08web

25 10 2017 Workshop Tecnologia Cidada Mangueira foto Justo DAvila 111web
Com 18 câmeras instaladas ao redor do teto do novo espaço, o sistema óptico capturará movimentos dos atletas.

A apresentação do espaço à Sociedade aconteceu conjuntamente com a realização do Workshop Tecnologia e Inovação Cidadã, iniciado no dia 24/10 no INT e concluído no dia 25/10, na Vila Olímpica da Mangueira, onde se instalou o centro de estudos. O evento aprofundou um diálogo interessante entre a tecnologia – desenho industrial, biomecânica, tecnologias assistivas, tecnologias do desporto e paradesporto – e a prática com jovens talentos prontos para inovar. Paralelamente, o encontro se voltou às pessoas que necessitam de cuidados especiais em torno de seus movimentos, como a crescente população de idosos.


Tecnologias do novo centro

O Centro de Tecnologia do Movimento (Cemov) já surgiu pronto, com o legado olímpico de um sistema interativo 3D usado no treinamento da equipe olímpica brasileira de esgrima, nas Olimpíadas do Rio de Janeiro. O desenvolvimento do sistema foi feito pela Divisão de Desenho Industrial do INT junto com o Laboratório de Ciência do Movimento da Universidade Presbiteriana Mackenzie (UPM), em São Paulo. Com a extinção do Curso de Educação Física da UPM, onde funcionava esse último laboratório, o novo espaço na Mangueira recebeu não somente os equipamentos, como assimilou profissionais capacitados nos projetos que mantêm a atividade.

 O sistema consiste numa plataforma digital 3D, instalada em tablets e celulares, que utiliza modelos digitais dos atletas. Esses modelos são criados a partir da captura dos movimentos dos atletas por um sistema óptico eletrônico, que inclui uma sequência de 18 câmeras e sensores de movimentos inerciais e rastreamento do olhar.

Com aplicativos adaptados a cada esporte, os professores e treinadores podem ter uma visão detalhada tridimensional, sob vários ângulos, de posturas e movimentos dos atletas. Isso torna os problemas posturais e de movimentos mais visíveis, permitindo ajustes no treinamento e disseminação das informações necessárias para melhoria da performance de cada um. O uso dos recursos tecnológicos no dia a dia do treinamento dos jovens atletas em formação na Vila Olímpica da Mangueira também permitirá acompanhar o seu desenvolvimento físico e técnico.
“O trabalho será iniciado com as equipes de basquete feminino e depois poderá ser expandido para outras modalidades coletivas”, explica a tecnologista Carla Guimarães, da área de Desenho Industrial do INT.

Tecnologia e Inovação Cidadã

25 10 2017 Workshop Tecnologia Cidada Mangueira foto Justo DAvila 17web

 

Workshop Tecnologia e Inovação Cidadã, foi iniciado no dia 24 de outubro, no INT, pelo diretor do Instituto, Fernando Rizzo, e pela coordenadora do Instituto Mangueira do Futuro,  Bárbara Machado. Integrando a primeira mesa-redonda, a diretora de Tecnologia da Faperj, Eliete Bouskela, destacou a iniciativa de criação do Cemov, como inovadora, pois oferece a possibilidade de fazer ponte entre tecnologia e as empresas, estabelecendo uma alternativa para a dependência do Governo. Na mesma mesa, a consultora de Biomecânica, Sônia Corrêa, oriunda da Faculdade de Educação Física do Mackenzie, vê na parceria com o Instituto Mangueira do Futuro a possibilidade de avanço na assimilação pelos treinadores e pela comunidade da cultura da análise mecânica.  O encontro seguiu até o dia 25, Vila Olímpica da  Mangueira, com palestras e discussões com consultores das áreas de Medicina e Biomecânica, pesquisadores do INT, da UFV, USP, Ipub/UFRJ, UERJ, UFF, IPCFEx, Unisuam e da empresa Nike. Na Mangueira, o Workshop reuniu também um grande número de professores e treinadores, que atuam no dia-a-dia das atividades da Vila Olímpica.

Workshop Tecnologia e Inovação Cidadã contou com apoio da Capes.

 

Fim do conteúdo da página