Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

INT perde um homem de ideias

Abraao Iachan web

Com 68 anos dedicados ao Instituto Nacional de Tecnologia (INT), morreu ontem (19), aos 94 anos, o químico e engenheiro químico Abrahão Iachan. Dr. Iachan, como era respeitosamente chamado pelos colegas de várias gerações, entrou no INT como estagiário, em 1946, mesmo ano em que se formaria pela Escola Nacional de Química – atual Escola de Química da Universidade Federal do Rio de Janeiro (EQ/UFRJ) – onde também se graduaria em Engenharia Química, em 1963, e obteria o grau de doutor em 1968.

Dr. Abraão Iachan no Laboratório de Proteínas do INT, em 1952. (Foto: Arquivo INT)No INT, começaria a trabalhar como pesquisador em 1º de março de 1947, integrando a equipe do Laboratório de Proteínas e Enzimas, atuando na área de biotecnologia, antes mesmo deste termo ser utilizado. Entre 1953 e 1954, especializou-se em química de proteínas em Berkeley, Califórnia (EUA). Em 1975, fez especialização em controle da poluição industrial em Ottawa, Canadá. De volta ao INT, assumiu vários cargos, tendo sido diretor da Divisão de Química Industrial, chefe da Divisão de Química Orgânica Industrial e diretor-geral substituto. Também foi coordenador do programa de Biotecnologia da Fundação de Tecnologia Industrial (FTI), que ficou sediada no Instituto entre 1978 e 1983.

Suas pesquisas abordaram principalmente produtos naturais, química de proteínas, meio ambiente e planejamento e prospecção tecnológica. Membro da Academia Brasileira de Ciências, teve mais de 60 trabalhos publicados – muitos deles em conjunto com Otto Gottlieb, indicado ao Nobel da Química em 1999 – e várias patentes de processos tecnológicos registradas no Brasil e no exterior. Integrou ainda a American Chemical Society (ACS), a American Association for the Advancement of Sciences (AAAS), a New York Academy of Sciences (NYAS), a Associação Brasileira de Química (ABQ) e a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC).

Foi também professor titular da UFRJ entre 1951 e 1975, na Disciplina de Introdução à Química das Proteínas e, em seguida, lecionando na Pós-Graduação, no Departamento de Engenharia Bioquímica.

Sempre foi tido como um "homem de ideias", tendo assessorado a Direção do INT por várias gestões, desde 1979. Além da produção científica, teve muitas ideias implementadas no Instituto, como criação do Centro de Informações Tecnológicas, do Grupo de Estudos de Poluição Industrial e do Grupo de Estudos da Embalagem. Em 2001, criou o Grupo Ideias, destinado a incentivar novos geradores de ideias, potencializando o pensamento criativo e o caráter multidisciplinar do INT. Aposentou-se em dezembro de 1993, mas continuaria na função de assessor especial da Direção até 2014.

Fim do conteúdo da página